segunda-feira, 11 de maio de 2009

Untitled I

Bem, sumi por alguns dias... pra minha eterna sorte, meu notebook está com probleminhas (tudo leva a crer que seja a placa de rede) e não posso me conectar... buááá.
Pelo menos posso usar a internet aqui no trabalho - mesmo que um pouco escondidinha! =P

Hoje trago alguns videozinhos que vi pela net e que trazem o LGBTT como temática.

Primeiramente, temos a já famosa - pelo menos na world wide web - cena do beijo lésbico de Força Tarefa, a nova série da Globo filhote de Tropa de Elite com Cidade dos Homens.
(Pra poupar-se de todo o desenrolar do plano estratégico do episódio e ir pra parte "interessante", corra pros 07:45 minutos.)



Ok, o beijo é bem mixuruquinha. Mas é uma avanço para a tão tradicional e retrógrada tevê brasileira. Beijo-em-mulher-pra-provar-que-é-sapata não é bem um beijo lésbico, mas há algo sobre a personagem de Hermila Guedes que me deixou interessada. (Admito que adorei o "entendeu?" dela depois do beijo...)
Vale esperar se a Globo vai aproveitar mesmo a personagem para uma história mais elaborada ou se ela vai ficar sendo a policial sapatona que veste flanela e fala grosso pra sempre. Não que eu vá assistir à Força Tarefa pra conferir...

...

A próxima cena é de Little Ashes, filme que conta a história da amizade de três personalidades das artes, Luis Buñuel (um dos maiores cineastas da história), Federico García Lorca (um dos maiores escritores da história) e Salvador Dalí (um dos maiores pintores da história). É de se pensar o que tinha na água que saía das torneiras da moradia de estudantes em que os três viviam, porque olha, vai ser um triozinho talentoso lá na...

Mas o post trata de vídeos com temática GLBTT, e essa, aaah, García Lorca e Dalí tinham bastante em sua amizade colorida. Diz a lenda que Lorca era apaixonado por Dalí. Já Dalí achava aquilo tudo divertido e mais uma maneira de perverter e subverter a ordem vigente do que, bem, sentimento mesmo. Seja como for, Lorca e Dalí tiveram um misto de amizade bem afetiva e romance tórrido, como podemos ver nessa bela cena - simples, suave e com uma trilha sonora maravilhosa:



Não vejo a hora de Little Ashes (que aqui será Poucas Cinzas) estrear no Brasil. Já seria suficiente pela três personalidades retratadas no filme, mas depois de ver essa cena...

...

E por último, pra mostrar que enquanto a TV brasileira caminha com passos de formiga e sem vontade no que diz respeito a temas polêmicos (com exceção da Glória Perez, claaaro, que adora um tema polêmico, leia-se completamente despropositado), o cinema brasileiro consegue traduzir histórias complicadas e delicadas em filmes brilhantes como esse, do trailer:



É claro que nunca podemos julgar o filme pelo seu trailer, mas se o filme causar um pouco do arepio que o trailer me causou, tenho certeza que vai ser tempo e dinheiro bem gastos na sala de cinema. Muito bem gastos.

3 comentários:

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

é, o entendeu foi "fia? tenho caso com ela não... eu gosto é de mulher..."

ela nunca me enganou, desde os tempos de Elis.

Duda disse...

Esse beijinho no Força-Tarefa instigou comentários em todo lugar mesmo... E essa atriz, sei não viu? Cheiro de mofo de armário no ar...

Demorou mas saiu a divulgação do blog lá no Lesbosfera viu?
O McP dá um show!

Beijos.

P. June disse...

Caralho, amor. Esse post foi maravilhoso mesmo! Adorei demais!

Pois é, Força Tarefa...cena mixuruquinha, mas bem humana. Parece algo que de fato poderia ter acontecido. Instigante, intrigante, atraente. Muito interessante a maneira como tudo se desenrolou, o desempenho da atriz. É, a Hermila Guedes me despertou a atenção também...o jeito dela, a segurança, a maneira como ela mexeu com a garota...tem alguma coisa muito sensual nessa camisa de flanela e jeito de sapa desencanada. Ah, vai, a gente sabe que a maioria das lésbicas não é assim, mas há um clichê muito sensual nisso de policial-sapatona-que-fala-grosso...

Littles Ashes, nós vamos ver no cinema! E a cena é linda demaaaaais, me arrepiei inteira. É muito sensual, bonita, pura, e, de novo, humana mesmo. Eu não sei, é uma explosão de juventude e tesão em um lago, sob o luar. É lindo. Poético. A dança sob a água.

E uau. Uau, uau, uau. Oh boy. E a gente pensa que é difícil entender o nosso amor porque somos duas mulheres. Imagina amar desse jeito seu irmão. E poxa, por que não? Eles quebram um tabu nesse filme, expõe uma situação sobre a qual não se fala com a naturalidade com a qual deve ser tratada.

Enfim, você é foda demais, o post ficou ótimo e eu te amo. Loucamente.

 
Blogger Templates by Wishafriend.com